internationalmba@fia.com.br +55 11 3732-3520 | +55 11 3732-3527 +55 11 98697-3581

27 nov 2020

Você já ouviu falar no mundo BANI?

Descubra o motivo de o conceito, apresentado pelo autor e futurista Jamais Cascio, fazer mais sentido, na atualidade, que o mundo VUCA

Por muito tempo vivemos no mundo VUCA. Esse conceito surgiu no exército americano na década de 1980, e o acrônimo significa volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade. Por muito tempo, ele nos ajudou a compreender mudanças – principalmente na tecnologia e cultura – e, durante as últimas décadas, nos permitiu encontrar algum sentido nas incertezas. Agora, porém, com as mudanças climáticas, crises políticas e pandemia, o mundo VUCA pode ter se tornado insuficiente para abranger o caos da atualidade.

O que era volátil se tornou frágil, a incerteza se transformou em ansiedade, a complexidade passou a ser não linear e a ambiguidade se tornou incompreensível. Assim, o acrônimo de mundo BANI surgiu: brittle, anxious, non-linear, incomprehensible.

No mundo BANI, um sistema frágil pode sempre estar a ponto de quebrar; ou seja, não há como confiar em algo que pode cair aos pedaços a qualquer momento. Assim, num mundo ansioso, estamos sempre esperando o próximo desastre acontecer e nos tornamos desesperados com a noção de que cada decisão pode ter um resultado catastrófico.

Sobre a não linearidade, é possível perceber que, nos dias de hoje, causa e consequência muitas vezes não podem mais ser analisadas criticamente. Pequenos atos e mudanças têm resultados desproporcionais, que podem só ser tangíveis depois de muito tempo. Com um mundo não linear, é comum que as coisas se tornem incompreensíveis, sem lógica aparente. As causas de problemas parecem ter acontecido há muito tempo, ou simplesmente não fazem sentido.

Desse modo, podemos sentir que um fim apocalíptico está se aproximando cada vez mais, mas não precisa ser dessa forma. O mundo BANI nos dá a oportunidade de enxergar os acontecimentos e a nova realidade de outra maneira. Podemos combater a fragilidade com resiliência; a ansiedade, com empatia; não linearidade, com contexto e flexibilidade; incompreensibilidade, com transparência e intuição.

Com todas as mudanças que parecem acontecer muito rapidamente, é imprescindível que também mudemos. Precisamos nos adaptar e encontrar novas maneiras de pensar e vermos os fatos. Só assim poderemos passar por esse momento temporário de desastres.

 

Fontes: https://medium.com/@cascio/facing-the-age-of-chaos-b00687b1f51d e https://stephangrabmeier.de/bani-versus-vuca/


Voltar

  • Excelente abordagem que nos fala de posturas a serem adotadas para a transformação de um “novo” mundo. INOVAR, ENGAJAR, COMPROMETER-SE E AGIR são ferramentas poderosas neste processo de adaptação e de realizações que podemos promover.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *